Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Pensador

Pensador

Besta da Economia

2016-07-04-13-18-05.jpg

Olá a todos!
 
Texto escrito há mais de 1 ano, pelo que peço que entendam alguma desactualização... Se não perceberem vão-se lixar, mas só depois de ler! Ora bem, cá estamos mais uma vez, para comentar uma frase de um génio da economia e das frases socialmente mais sensíveis, que alguma vez ouvi: “Aumentar o salário mínimo, é estragar a vida aos pobres”… Pois… O génio atrás desta bela construção oral, é o economista João César das Neves “A Besta”. Antes de mais, permitam-me corrigir… Não será um génio, pois com os dois ou três reis que tem na barriga, nem que se esfregue a lâmpada com um esfregão de arame, há-de conseguir sair de lá de dentro. 
 
Gostaria de dizer que até não discordo deste senhor, e antes de me começarem a insultar, permitam-me que explique. Com todas as preocupações acerca da Saúde das autoridades mundiais, deixem-me dizer que se as pessoas não ganharem mais, trava-se à partida, o aumento da obesidade. As pessoas que se alimentam bem, normalmente têm mau aspecto e a elegância é coisa que lhes é desconhecida. Vamos então promover a fome, e assim viveremos todos num mundo mais elegante. Este economista de topo diz também que, Portugal vive uma crise demográfica com razões culturais, e não económicas… Mais uma vez aplaudo este senhor, que cada vez que abre a boca, demonstra que afinal não é só na Assembleia, que ouvimos frases bonitas e meiguinhas para com um povo, que afinal está é mal habituado e pelos vistos ainda vive à grande.
 
Gostaria de salientar que para além de demonstrar preocupação com toda uma classe, que pelos vistos é privilegiada, o João César das Neves, devia pedir que os pobres fossem apedrejados e abatidos, pois isso é uma demonstração de carinho puro… Para finalizar em beleza, e porque normalmente quando vamos evacuar, quando pensamos que estamos despachados temos de nos render novamente aos pedidos do organismo, eis que o Joãozinho “cospe” mais uma pérola: “Algo de bom está a acontecer na sociedade portuguesa, mas que isso não é visível”… Não só não é visível, como é uma frase parva… Mas afinal eu não sou economista, sou apenas pobre…
 
Sugiro que deste belo economista, se façam uns sapatinhos para hipopótamos e que depois sejam oferecidos à Popota… Ou vistam-no de polícia, e metam-no de frente para o Jorge Jesus, fica ao critério de cada um. Vou por isso preparar-me para não ter a vida estragada, e para ser apedrejado…
 
Até um dia, se a fome e se o Passos deixarem… E se o Sr. Economista parar com a diarreia verbal.
 
Bem hajam!