Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Pensador

Pensador

Gaivotas e Gemidos

2016-03-09-12-10-01.jpg

Olá!
 
Fartos de textos parvos e sem qualquer piada? Ainda bem, pois aqui vai mais um!
Quem nunca sentiu o fascínio por viagens? Fascínio por ilhas? Todos nós, nem que por uma vez desejámos ir a alguma. Mais ou menos paradisíaca, mas uma ilha é sempre uma ilha, seja onde for. Mas há uma que sempre me intrigou desde muito novo, e sempre tive a curiosidade normal de conhecer... A Berlenga. 
Recordo-me de saber das horas dos barcos até essa preciosidade plantada na água, e de me assustar com o horário madrugador e peridiocidades dos transportes para lá. Basicamente, e para terem uma ideia, vai-se de madrugada ao ponto de sentirmos sono a meio da tarde, o que nos obriga a ficar acordados para não perdermos o barco de volta... Senão podemos muito bem ser uma imitação do Robinson Crusoe por um dia ou dois. Talvez a barba não cresça tanto, mas ao menos o cenário de estar numa ilha deserta é mais realista. Estou no gozo claro, a Berlenga não é deserta. Tem umas casinhas e presumo que alguém lá viva, mas o receio de me aproximar impediu-me de comprovar a existência de vida. Vejo muito cinema, e nesses sítios há sempre famílias de mentalidade retorcida, em que um dos elementos nasceu com uma deformação genética, e que gostam de fazer pouco dos visitantes indefesos. Uma das coisas que me surpreendeu naquela ilha paradisíaca, foi a quantidade de gaivotas, a fazer lembrar que aquela "pedra" rodeada por água será a China das aves! O barulho provocado pelas aves é comparável a gritos de dor e gemidos só vistos nos filmes do Taveira, a tal ponto que acredito piamente que quem passe ali a noite, possa pensar que se a ilha for habitada, é por gente tão tarada sexualmente, que podiam muito bem ali abrir um estúdio apenas para filmes pornográficos de fazer corar os americanos. Também se poderia pensar que aqueles gemidos são provocados por idosos com as suas dores normais, mas no volume ouvido, teria de ser um lar do tamanho da Península Ibérica. Mas não, são apenas gaivotas a fazer aquilo que sabem... A fazer sons e a largar cocós alarvemente! Bem que podiam fazer um jogo para os dispositivos móveis baseado neste tema! O personagem teria de sobreviver a esta largada de dejectos e teria de conseguir fugir dali... Isto se houvesse algum barco entretanto! Fica a ideia. 
Depois disto, e tendo virado a minha atenção para uma ilha também muito mediática, a Ilha do Pessegueiro, o meu receio abunda e apesar das palavras de um cantor conhecido, talvez arrisque menos e vá até às Bahamas... Navegando pela Internet. 
 
Bem hajam!